13 setembro 2006

Trair e votar, é só começar

Tomo a liberdade de republicar aqui no blog a coluna de Alex Medeiros publicada ontem no Jornal de Hoje, que mostra como está divertida a nossa política no RN:

Trair e votar, é só começar

A famosa peça teatral "Trair e coçar, é só começar", escrita por Marcos Caruso há vinte anos, narra a controvertida e hilária presença da empregada doméstica Olímpia em um condomínio. A partir de um mal entendido da dita cuja, todos os moradores se vêem envolvidos numa generalizada suspeita de adultério.
A presente campanha eleitoral transformou o Rio Grande do Norte num bagunçado condomínio partidário sob suspeita. Tudo começou quando o ex-senador Geraldo Melo (PSDB) descobriu que a união estável de uma década com o PMDB estava se degradando com o namoro do ex-aliado com o PFL.
O tucano, por sua vez, ocupava a alcova eleitoral que já pertencera ao colega Fernando Bezerra (PTB), à época chamado de "senador de Garibaldi", mas em dias atuais conhecido como o "senador de Wilma". Dispensado Geraldo, os chefes do PMDB assumiram de público o caso com os pefelistas. Sem qualquer cerimônia, desculpem o trocadilho, fizeram o casamento Alves com Maia.
Desgostoso e com dor de corno, Geraldo assistiu raivoso o casamento de Garibaldi Alves com Rosalba Ciarlini. Durante décadas, tal união seria tão impossível quanto narrara Shakespeare no clássico sobre o amor entre um Montéquio e um Capuletto. Enquanto isso, a ex-noiva dos Maia, Wilma de Faria, passeava faceira de mãos dadas com Fernando Bezerra, antiga paixão dos Alves.
Com as confusões do troca-troca, o condomínio RN se viu envolvido num festival de traições. E que contaminou tudo que é morador, como os candidatos a deputado. Em Macaíba, Garibaldi freqüenta as noitadas de comícios escondido de Rosalba e de mãos dadas com Fernando Bezerra. Em Nova Cruz, Wilma se esbalda com a turma de Geraldo Melo.
Fernando Bezerra tem encontros com Garibaldi em Brejinho, e nem liga se o povo contar a Wilma, que por sua vez já percebeu gente sua flertando com Rosalba e até estimulou. Em São Gonçalo, o candidato Felipe Maia escondeu as fotos de Rosalba e deu cartaz a Geraldo Melo durante toda uma carreata. O primo de Garibaldi, Henrique Eduardo, anda flertando com o PT, os amores de Wilma.
No condomínio político do RN, como se vê, trair e votar é só começar. Todo mundo está traindo, todo mundo está vivendo o troca-troca do voto, sem o menor pudor. Se saísse do roteiro de Caruso ou do filme de Moacyr Goes e entrasse na pauta da eleição potiguar, a doméstica Olímpia alimentaria sua fofoca com o festival de chifres eleitorais que impera por aqui. (AM)

Nenhum comentário: