30 maio 2009

Natal Social (13)


Está quase que cientificamente comprovado: pobre adora uma fila! Seja fila pra pagar conta de água ou luz (as únicas que todo pobre tem, né?), seja pra receber o seguro-desemprego, se inscrever num concurso de gari ou ainda pra receber algum benefício do governo. Na verdade, a fila é um grande ponto de encontro de todas as pessoas desprovidas de recursos, que adoram estar juntas pra contar as mazelas da vida ou reclamar do governo. Eu diria que aquele momento de espera é um momento de identificação, tipo "sou igual a todos" e "como é bom descobrir que existem tantos lisos como eu"! Às vezes tenho cá minhas dúvidas se não existe gente que só em ver uma fila se formando entra no meio, pra descobrir o que é depois.

E eu, como não poderia deixar de ser, me juntei a vááárias pessoas bem bacanas numa fila enorme (que eu nem sabia pra que era) e passei uma tarde bem descontraída, não sem antes me esconder do sol embaixo de um guarda-chuva amigo. Descobri que maioria se encontrava desempregada ou estava com o "nome sujo" e quase ninguém tinha conta-corrente no banco. E ainda comi um delicioso risole com suco de limão, que foi vendido por um ambulante que passava pelo local. Um "diliça".



- ATÉ A PRÓXIMA FULEIRAGEM, PESSOAL!
Silvinho Tonheira

* Natal Social traz pra você, quando o colunista resolve aparecer, informações sobre a parcela da população que só vai pra frente quando leva uma topada.

Nenhum comentário: