14 agosto 2009

Não vale uma pitomba: capa do disco da banda Destruction

Quando eu era adolescente, achava que o Heavy Metal era a coisa mais fantástica do planeta. Mas daí você vai crescendo, ouvindo outras coisas, e naturalmente vai ficando com o senso crítico mais aguçado. Começa a ver, por exemplo, que os “os astros do metal” são as criaturas mais “posers” que existem. Que a cara de mau é só pra impressionar a molecada. Que as músicas, em grande parte, são clichês em cima de clichês. Que as letras, em grande parte, são ruins.

Hoje, como sou um legítimo falador de merda, vou falar de uma banda que gostava bastante, a alemã Destruction (que depois de uma googleada descobri que ainda existe). Vejamos esta capa do disco “Sentence of death”, gravado em 1985. Que coisinha mais tosca!

Cenário: cemitério (oohhh), caras de mau (ai que meda), batons pretos (ui santa), correntes e cintos de bala, calça preta colada e… meia soquete (!!!) do carinha da direita (parece uma abelha rainha… "oh abelha rainha, faz de mim, um instrumento de seu prazer…")

ps: se você já leu este post em outro blog, é porque eu também escrevi isto lá onde você leu.

2 comentários:

erick disse...

\M/ DESTRUCTION BANDA MUITO FÓDA DO ESTILO THRASH METAL OS CARAS SÃO FÓDAS...

Anônimo disse...

CARA EU OUÇO DESDE ADOLESCENTE ATÉ HOJE, SÓ NÃO VOU A SHOWS MAIS, AGORA VC É QUE É UM BAITA DE UM POSER, GOSTOU E AGORA COSPE NO PRATO QUE COMEU! O METAL NUNCA FOI PARA VC MESMO!!!