04 outubro 2009

Coreanos

Em 27 de julho de 1953, as duas Coréias terminaram a "Guerra das Coréias". De um lado, os coreanos do sul ficaram sob o domínio e influência americanos, enquanto os do norte estavam alinhados com a Rússia e a China. Suspenderam o conflito, mas não as hostilidades. Criaram uma fronteira fortemente militarizada e, de repente, quem estava do lado de lá ficou do lado de lá e quem estava do lado de cá não podia mais visitar o lado de lá. Uma bosta.

Em 26 de setembro de 2009, um grupo de 97 sul-coreanos cruzou a fronteira fortemente militarizada para encontrar os parentes na Coréia do Norte, em virtude de um acordo entre os dois países. Depois de 56 anos, os governos deram uma chance única de alguns coreanos encontrarem seus parentes para dizer "adeus". A notícia é essa aqui.

* Algumas conclusões a respeito:

1) Imagino que isto é praticamente uma morte, mas não é pior. Na morte de verdade, alguns acreditam que nunca mais verão o outro. Já alguns esperam encontrá-los na "vida eterna" ou na outra encarnação. Nas Coréias, pelo menos a morte está do outro lado, bem ali pertinho.

2) Coreanos otimistas sempre imaginaram uma chance de entrar no céu (ou no inferno, se forem para o Norte) e ver seu parente "morto" ainda nesta vida. Ou ainda nesta morte, se o coreano estava vivendo na Coréia do Norte.

3) Muito estranho deve ser ficar tão distante e ao mesmo tempo tão perto de alguém tão próximo e, de repente, encontrar seu próximo com a certeza que num futuro bem próximo irão ficar tão longe, e tão perto, de novo.

* Algumas histórias emocionantes do reencontro:

1) Jin Won Yang estava na casa de uma amante na Coréia do Norte, quando de repente soube da notícia do fechamento da fronteira. Depois de 56 anos, resolveu encontrar a esposa, e esta lembrou que o marido nunca a ouvia, que faltava carinho e que sempre foi muito "ausente". E ele mentalmente se deu conta que na sua pobre vida tinha saído de um inferno para entrar em outro.

2) Dois irmãos brincavam de esconde-esconde quando um deles resolveu se esconder na Coréia do Norte justamente no dia que a fronteira fechou. Um irmão só encontrou o outro 56 anos depois. O sul-coreano aproveitou e ainda tirou onda com a cara do irmão que virou norte-coreano sem querer, dizendo que, pelo menos, ele havia vencido a brincadeira. O norte-coreano não gostou.

3) A sul-coreana Jung Yo encontrou sua prima Kyung Ji, que vive na Coréia do Norte. Se assustou quando perguntou pelas novidades e ela respondeu "que estava tudo na mesma". Literalmente.

Um comentário:

Evz disse...

Hahahaha! Félasdaputa... =))))